A PANDEMIA DAS DROGAS – I

 

Sem dúvida, a maior luta que o espírito enfrenta, na reencarnação, é a que diz respeito ao seu próprio passado, às diversas “personalidades” que, ao longo de sua trajetória evolutiva, ele vem animando.

 

Sempre existe uma tendência muito grande em reviver o pretérito, na sequência natural das experiências que o espírito vivencia na Terra.

 

O esquecimento do passado, sendo parcial, e não absoluto, diz respeito, em essência, mais à identidade do espírito em sua vida anterior, e não ao que ele continua a ser, ao ocupar nova vestimenta física.

 

Assim, repetimos, o maior entrave ao progresso do espírito que regressa ao Educandário Terrestre, pode se resumir nas tendências e inclinações por ele adquiridas, e que somente pela educação, ou reeducação, poderão ser anuladas – no caso, dessas mesmas inclinações e tendências lhe serem estorvos na aquisição de hábitos consentâneos com a sua necessidade de crescimento íntimo.

 

Porém, desejamos neste arrazoado, fazer referência, talvez, ao mais grave obstáculo que o espírito pode facear no aproveitamento de sua atual encarnação – obstáculo de natureza exterior, que, é bem verdade, encontra ensejo de manifestação em sua realidade interior.

 

Estamos nos referindo às drogas ilícitas, aos alucinógenos de uma maneira geral, que podem fazer com que o espírito, ainda na adolescência, ou na juventude, permaneça escravo do vício durante toda a sua encarnação, “desperdiçando” a oportunidade que obteve.

 

Claro que toda experiência termina por contar positivamente para o espírito, muito embora, no caso específico dos tóxicos, essa experiência possa vir a lhe custar muitas dores, que podem se estender por várias existências – nas consequências diretas, ou indiretas, de suas escolhas.

 

Muitos espíritos, por exemplo, que não conseguem se libertar do vício das drogas, incluindo aqui a questão do alcoolismo, ao se entregarem à depressão, e/ou a complexos quadros obsessivos, infelizmente, acabam optando pela autodestruição.

 

Conhecemos aqui, deste Outro Lado, um sem número de espíritos que, ainda tendo largo tempo de vida pela frente no corpo material, anteciparam o seu regresso ao Mundo Espiritual com sérios agravantes de sua situação, também pelo trauma que causaram aos familiares e, de resto, à sociedade como um todo, na repercussão do ato de violência que cometeram com o autoextermínio, que nunca deixa de ser uma “propaganda” da falta de fé em Deus.

 

Não mencionaremos aqui, nestas palavras em síntese, a culpa que, nos casos de suicídio, ou de outras condições de penúria moral e intelectual, a família e a sociedade também possam ter, e, certamente, têm.

 

A infância e a adolescência estão padecendo de muitos descuidos da parte daqueles que deveriam se sentir mais responsabilizados por elas.

 

Voltando, todavia, à questão das drogas, que pode ser considerada uma calamidade, um flagelo superior a todos os flagelos que vêm acometendo a Humanidade, que vitima muito mais vidas que qualquer pandemia que, atualmente, esteja ocupando espaço na mídia mundial, queremos dizer que, infelizmente, milhares e milhares de espíritos, que se corporificam no orbe, retornam à esta outra Dimensão com o mínimo aproveitamento possível de sua experiência reencarnatória.

 

E não pensem que aqueles que deixam o corpo em consequência desse ou daquele vício possam dele se libertar pela sua simples condição de espírito desencarnado.

 

Esperamos, no próximo post, dar sequência a essas nossas reflexões sobre o assunto que, de fato, vem se constituindo em obstáculo quase inarredável no caminho de muitos.

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 14 de Junho de 2020.

 

 

 

Fonte: http://inacioferreira-baccelli.blogspot.com/2020/06/a-pandemia-dasdrogas-i-sem-duvida-maior.html

Antonio Nazareno Favarin Dr. Inácio Ferreira
Blog do Dr. Inácio Ferreria mantido pelo medium Carlos A. Baccelli
Site Oficial: Mediunidade na Internet

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share via
Send this to a friend