A PANDEMIA DAS DROGAS – II

 

Voltando ao assunto do post anterior, desejamos efetuar outras considerações que julgamos importantes à nossa reflexão.

 

A impressão que, de fato, se tem é que o establishment não se interessa pelo combate sistemático às drogas e, consequentemente, ao tráfico, porquanto, além de ser altamente rentável, mantém os espíritos inativos intelectualmente e moralmente, sendo-lhe muito mais fácil o domínio daqueles que lhe servem aos propósitos trevosos.

 

Não há negar que, infelizmente, boa parte do mundo ainda permanece sob o controle dos espíritos que se opõem ao Cristo, em sua proposta de redenção humana, ou de libertação espiritual das criaturas.

 

Esse “controle”, que tem origem nas Dimensões Espirituais, estende-se à Crosta, através de um sem número de espíritos que reencarnam com ele comprometidos, atuando nas mais diversas áreas de atividade social – inclusive, também na área dita “religiosa”, na qual muitos de seus pretensos líderes, indiretamente, “trabalham” inoculando o veneno do cepticismo nas almas.

 

O comportamento humano, de maneira geral, reflete-lhe, sem dúvida, a descrença na imortalidade, com a civilização sendo espiritualmente “sustentada” por um grupo de espíritos, não muito numeroso, que, na teoria e, principalmente, na prática, mantém vivos os princípios da fé em Deus.

 

Desejamos considerar, ainda, que os viciados de qualquer natureza – os que se deixam, mentalmente, absorver pelos vícios –, são espíritos candidatos ao que André Luiz, no livro “Evolução em Dois Mundos”, chama de “monoideísmo”, processo altamente danoso para o espírito que, assim, pode perder o controle sobre si mesmo, com profundos reflexos em seu corpo espiritual, que exigirá tempo mais ou menos longo para se reconstituir – não raro, por reencarnações dolorosas, ou tentativas de reencarnação que podem resultar em processos abortivos sequenciais.

 

O uso sistemático de drogas, por longo tempo, faz com que o espírito se degrade intelectual e moralmente, sendo presa fácil das inteligências perversas que, vampirizando-o, passa a utilizá-lo como instrumento de suas bestialidades, enfim, de seus intentos escusos.

 

Pode-se afirmar que, para milhares de espíritos, no mundo todo, a reencarnação, em termos de medida educativa, tem se anulado, se não totalmente, pelo menos de maneira parcial, concorrendo, igualmente, para inviabilizar o regresso do espírito a um novo corpo de maneira mais rápida – na atualidade terrestre, o fenômeno da reencarnação, cada vez mais, está a exigir o mínimo de empatia entre os espíritos reencarnantes e os que lhe haverão de acolher na condição de pais.

 

A questão da empatia na reencarnação, nos tempos que correm, faz parte do sistema de seleção dos espíritos que, segundo as palavras do Divino Mestre, “possuirão a Terra”, ou seja, não serão constrangidos a se exilarem em outros orbes.

 

Sim, porquanto esse “processo seletivo” vem se acentuando, e trata-se de uma ação natural afeta tão somente à Lei Divina, que, para se cumprir, evidentemente, se vale de encarnados e desencarnados como seus instrumentos.

 

A pandemia das drogas, maior que qualquer pandemia que já tenha assolado a Humanidade, é instrumento do “anticristo”, de vez que dela inúmeras outras pandemias se revelam decorrentes, com inúmeros interesses paralelos sendo movimentados pela ambição dos espíritos que, por mentes maquiavélicas, são impedidos de pensar na fragilidade de seus intentos, de vez que, de hora para outra, haverão de deixar os seus “celeiros abarrotados”.

 

Sem dúvida, essa pandemia do “Coronavírus” vem ensejando mostrar a todos como as virtudes que o espírito considera já ter entesourado não passam, quando muito, de qualidades epidérmicas.

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 21 de Junho de 2020.

 

Fonte: http://inacioferreira-baccelli.blogspot.com/2020/06/a-pandemia-dasdrogas-ii-voltando-ao.html

Antonio Nazareno Favarin Dr. Inácio Ferreira
Blog do Dr. Inácio Ferreria mantido pelo medium Carlos A. Baccelli
Site Oficial: Mediunidade na Internet

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share via
Send this to a friend