KARDEC, ANTES DE SER CHICO

 

Sabemos, aqui na Vida Maior, que logo após a sua desencarnação, ocorrida no dia 31 de março de 1869, Allan Kardec conduziu-se, nas Altas Esferas, à presença do Senhor.

 

Diante do Mestre, o Discípulo Amado, postando-se de joelhos, se mostrou incapaz de dizer palavra. Havia lágrimas em seus olhos muito lúcidos, e, então, lhe pousando a destra sobre o ombro, o Senhor perguntou:

 

– João, por que choras?!…

 

O pranto do fiel lidador da Verdade, que laborara, na Terra, para restaurar o Cristianismo em sua lídima pureza, fez-se mais copioso, e ante o seu compreensível silêncio, o Cristo tornou a indagar, insistindo:

 

– Por que choras, João?!…

 

Não ousando levantar os olhos, e tampouco erguer-se do chão luminoso em que se prostrara, Kardec respondeu com a humildade dos grandes espíritos:

 

– Senhor, não pude fazer mais…

 

– Fizeste o necessário – redarguiu Jesus. – No entanto, sabes que, em breve, deverás voltar…

 

– Estarei pronto?! – inquiriu o sábio lionês.

 

– Sempre estiveste e sempre estarás, João – respondeu o Mestre, no diálogo que entre ambos se desdobrou, sucinto.

 

– Ainda para escrever?!…

 

– Para escrever ainda!…

 

– Novos livros?!…

 

– Livros e exemplos?!…

 

Com voz trêmula, o Codificador ponderou, dirigindo-se à sublime luz que, à sua frente, tomara a forma humana do inesquecível Nazareno:

 

– Certamente dispões, Senhor, de alguém mais apto ao novo tentame, que, com sinceridade, sinto além de minhas escassas possibilidades…

 

– No entanto, quer meu Pai que a tarefa continue sendo tua…

 

Kardec, neste momento, em sinal de extrema submissão, inclinou mais a cabeça, que chegou a tocar o chão em que aquela luz esplendia, em ambiente etéreo que o verbo humano, por mais se esmerasse, seria incapaz de descrever.

 

– Virás comigo, João – ordenou o Senhor. – Subiremos… E, durante algum tempo, estagiarás ao meu lado, ampliando a sua já vasta capacidade receptiva… Agora, muitos deverão escrever pela tua mão… No entanto, deverás ter o espírito impregnado de tudo o que escreverem[U1] … Já te esqueceste que aprender é recordar?! – perguntou Jesus, esboçando um sorriso divino.

 

– Quem escreverá, Mestre?!…

 

– Os mortos, João, os mortos – uma legião deles! A Falange que, escrevendo por outras mãos, te inspirou na Codificação, agora escreverá por tua própria mão, e outros tantos mais escreverão, centenas…

 

– ?!…

 

– Serás médium, João! – esclareceu o Senhor, que, estendendo-lhe os braços, fez com o Apóstolo se levantasse e, arrebatando-o, dirigiu-se, em sua companhia, para Dimensão ignota, na qual, durante quarenta anos, antes de tomar um novo corpo, ele deveria permanecer estagiando para dar sequência à nobre missão.

 

E no alvorecer do próximo século, em 1910, qual o próprio Codificador previra em nota de sua lavra, ele retorna à liça, recebendo o nome de Francisco de Paula Cândido, ou Francisco Cândido Xavier, que se faria, no Brasil e no mundo, conhecido simplesmente por “Chico Xavier”.

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 23 de Fevereiro de 2020.

 


 [U1]

Fonte: http://inacioferreira-baccelli.blogspot.com/2020/02/kardec-antes-de-serchico-sabemos-aqui.html

Antonio Nazareno Favarin Dr. Inácio Ferreira
Blog do Dr. Inácio Ferreria mantido pelo medium Carlos A. Baccelli
Site Oficial: Mediunidade na Internet

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share via
Send this to a friend