--- Publicidade ---

             A loucura também se faz na impaciência e na tristeza em qualquer um de seu níveis podendo ocasionar o ingresso da mesma nos pródromos do cérebro físico e espiritual. Uma quanto outra são vestígios de que a alma se encontra entregue às consequências de uma individualidade presente marcada por outras tantas de passados distantes. É fato de que trazemos resquícios de outras vidas – mais das vezes a última –, mas mesmo assim nos entregamos a eles porque ainda não desenvolvemos em nós a clareza de entendimento quanto à nossa real personalidade.

            Difícil talvez para muitos entenderem esse meu humilde raciocínio, mas vamos clareá-lo nos dizeres do Instrutor Calderaro quando visitava um hospício terreno juntamente com André Luiz, em seu livro “No Mundo Maior” no seu capítulo 16, intitulado “Alienados Mentais”, através da mediunidade de Chico Xavier: “Quase podemos afirmar que noventa em cem dos casos de loucura, (…) começam nas consequências das faltas graves que praticamos com a impaciência ou com a tristeza, isto é, por intermédio de atitudes mentais que imprimem deploráveis reflexos no caminho daqueles que as acolhem e alimentam”.

            Todo sentimento o qual nos expressamos tem que ser sempre observado, analisado, refletido. Tudo que dele emana é que irá nos libertar ou nos prender nos faustos das vicissitudes as quais sempre teimamos em alimentar. Não nos adiantará termos consciência se ela se encontra anuviada por princípios de sobrevivência que advêm de pensamentos abitolados em desequilíbrios.

            Devemos refletir o bastante com aquelas palavras de Jesus quando nos asseverou para vigiarmos e orarmos não somente durante o dia, mas principalmente a todo momento que nos sentirmos sufocados, reprimidos, pressionados a impulsos inferiores que tentam nos dominar. Infelizmente milhares de almas não se preocupam com o seu lado espiritual deixando com que o corpo físico seja passivo integralmente a tantas arbitrariedades causadas contra o próximo e conosco mesmo.

            A falta de paciência tem gerado grandes malefícios para com aqueles que dela ainda não a detêm. Discórdias, transtornos, desentendimentos são alguns fatores de desequilíbrios que levam muitos à um estado patológico agravante gerando energias contrárias ao bem-estar em que o espírito necessita atingir.

            E, com a privação da paciência, gera em todo psiquismo em descontrole uma tristeza inaudita, insólita que aos poucos vai ganhando terreno no coração desguarnecido da vigilância e da prece, invadindo o sistema nervoso central com miasmas advindos de outros espíritos que, a postos, se encontram para arrecadar para si, mais vítimas para as suas falanges de sombras.

            Nós sabemos muito bem do que nos faz mal, mas mesmo assim agimos quais crianças malcriadas que para aprender será do jeito mais difícil. E aí as consequências serão as mais terríveis a chegar a um ponto de não sabermos mais o que pensamos, falamos ou fazemos, demência generalizada, ou seja, loucura total. Comigo, Leitor Amigo?

Aécio César Aécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.
--- Publicidade ---

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share via
Send this to a friend