--- Publicidade ---

            Aprendizes do Evangelho. Mesmo o melhor representante dessa ou daquela religião não deixa de estar em profundos estudos à respeito da sua corrida evolucionista segundo o seu entendimento. O que manda aqui não são as credenciais externas, pois o hábito não faz o monge, mas sim, o sentimento guardado no peito, que lhe bate irradiando luz em forma de compreensão e entendimento às Leis Máximas do Criador.

            Nessa semana continuaremos com a palestra do Instrutor Eusébio à plateia composta de encarnados quanto desencarnados nos planos adjacentes à Terra, registrada por André Luiz no livro: “No Mundo Maior”, no seu capítulo 15, intitulado “Apelo Cristão”, pela mediunidade de Chico Xavier. Vejamos: “Cada aprendiz do Evangelho guarda na própria vida, um reduto destinado ao culto vivo do Divino Mestre, perante o qual escoa a multidão dos necessitados, todos os dias…”.

            O Deus vivo vive em nós e entre nós. E, se Ele faz parte da nossa estrutura físico-espiritual, devemos convir que temos que deixar arejado o nosso coração. Devemos estar sempre com a sintonia elevada, alimentar bons princípios de vida, de vivência e de convivência, para que o Paracleto da nossa existência esteja sempre ativo diretamente mais ligado com os nossos rigorosos votos de religião e de religiosidade.

            Devemos reconhecer no nosso contexto de cristãos da Nova Era que não basta falarmos bem sobre o Evangelho do Senhor, mas sim, procurar vivenciá-lo no dia a dia como sustentáculo da nossa cristandade. Sobre o assunto, vamos ver o que o Instrutor Eusébio nos relata: “O irmão caído é nossa carga preciosa, a dificuldade é o nosso incentivo santo, a dor nossa escola purificadora”.

            Como podemos notar acerca da citação acima, muito nos valerá o esforço, a determinação, o sentimento sempre acima das nossas precárias intenções de caridade que fica muito aquém da sua valiosa significação.

            O irmão caído nos mandos e desmandos dos vícios que mesmo atordoantes e alucinógenos, impõe muitas criaturas a se submeterem ao seu jugo sarcástico. Se temos um olhar espiritualizado além dos comezinhos convívios com a sociedade a qual fazemos parte, devemos, o quanto antes, prestarmos benefício sincero a quantos nos chegam tombados e desesperançosos da dor moral insuportável que carregam.

            Toda dificuldade que nos apresente no caminho, não é vontade de Deus impedindo-nos de prosseguir a marcha. Esses obstáculos nada mais são que as nossas vontades transviadas, que alimentam egos doentios e enfermos de existências passadas e, sem exageros, os que criamos também na atual reencarnação. Devemos o quanto antes, limpar o nosso caminho íntimo para que os nossos passos sejam mais prósperos e mais fortalecidos com o elixir da fé raciocinada. E a dor nos será aquele impulso sagrado transformado em pábulo da alma agradecida pelas vitórias ganhas do esforço em melhorar-se sempre. Comigo Leitor Amigo?

Aécio César Aécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.

 

--- Publicidade ---

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share via
Send this to a friend