Entre no canal

O inferno… Para muitos, um local de dores e sofrimentos eternos predestinado para aqueles que não foram privilegiados pela vontade do Criador a viver num paraíso fastidioso. Para outros, mais racionais, perspectivas de sentimentos religiosos apenas. Mas, tanto um como outro, denota dúvidas as mais calorosas.

            Muitas crenças criadas pelos homens acreditam que o diabo ou manifestação do mal foi criado à parte da Criação para dominar a humanidade ainda fraca nos seus predicados de religiosidade. Mesmo com todo o nosso fardo de imperfeições bastante pesado, Deus, segundo certos posicionamentos religiosos, ainda coloca seres malignos para atrasarmos na nossa jornada evolutiva. Que Deus é esse que deseja ver Seus filhos sofrendo agruras sem os merecer? Vale uma reflexão sobre isso, não é mesmo?

            Para compreendermos melhor a respeito do tema da semana, vamos analisar o que André Luiz nos relata quando presente à uma palestra feita pelo Ministro Flácus no capítulo 1 do livro “Libertação”, intitulado “Ouvindo Elucidações”, pela mediunidade do saudoso médium Chico Xavier. Vejamos: “O inferno, por isso mesmo, é um problema de direção espiritual. Satã é a inteligência perversa. O mau é o desperdício do tempo ou o emprego da energia em sentido contrário aos propósitos do Senhor”.

            Podemos analisar em prazo curto a veracidade dessa citação. O homem ainda tem tendências subversivas. Tem forte atração com as sombras de onde, viciado, veio trazendo rastros do mal. E esse mal, na sua pujança, o arrebata subjugado em apreciações religiosas que não coadunam com a essência do Evangelho. E assim vem, de existência em existência, sobrepujando as suas potências energéticas coadunando com habitantes das sombras. E nada mais justo o sofrimento como tábua de salvação para todo desertor das vontades do Pai.

            Sofre a humanidade sob a pressão de pensamentos os mais diversos, ao léu das próprias acareações. Sofreu ontem, sofre hoje e o resultado, se bem aproveitado desse sofrimento, sofrerá ou não no futuro.

            O homem não aproveita do tempo para se auto burilar. Alimenta-se de vícios que ainda os prendem às masmorras dos desejos sempre insaciáveis. Com certeza nesse momento está a desejar uma comida farta ou uma vida associada à fortunas a viver na sombra e água fresca. Sonhar é ótimo e faz parte das nossas reações, não é mesmo? E essa carência de saciedade, levam muitos a perscrutar um inferno, de Dante, navegado.

            O mau impera célere nos caminhos dos homens imprevidentes. Você que me lê faz parte dessa gleba. Duvida? A religiosidade desses está em baixa. Onde a religião que faz despertar fieis quanto ao seu destino além-túmulo além da Doutrina dos Espíritos codificada por Allan Kardec? A morte é mal interpretada certamente. Temida. Associada sempre à sombras sinistras. Muitos evitam até de falar sobre ela. Perca de tempo…

Mas, se não somos imunes a esse fim, ou seja, a morte, por que tanto ojeriza, tamanha indiferença, se daqui a um segundo poderemos estar fazendo a Grande Viagem, em que a vida infinita se achará indiferente de cremos ou não na jornada do Espírito imortal? E pergunto: Você estaria pronto para deixar seu corpo hoje, nesse momento? Vale a reflexão, não é mesmo Leitor Amigo?

Aécio César Aécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.
--- Publicidade ---

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share via
Send this to a friend