Você já parou para pensar que o sexo desregrado é qual cativeiro sem grades, por onde muitos homens e mulheres se prendem sem que haja, pelo menos, uma chave para a sua libertação, senão à total loucura?

            Continuando com a palestra em que André Luiz e o seu instrutor Calderaro estão participando, relatado no livro “No Mundo Maior”, no seu capítulo 11 intitulado “Sexo”, pelo lápis do médium Chico Xavier, vejamos outras citações interessantes: “A sede do sexo não se acha no corpo grosseiro, mas na alma, em sua sublime organização”. Mais uma vez é enfocado que a sede do sexo não está centralizado no corpo físico, mas sim na sua usina geradora que são os centros perispiríticos da alma. O corpo poderá ser um agente ativo ou passivo às organizações e também as desorganizações cerebrais do espírito em que entram em jogo a consubstanciação do caráter e da autonomia ainda desprovidos de tino moral o suficiente para separar, sublimidade superior de prazer instintivo inferior.

            Outra citação importante para nossos estudos é a possessão do homem sobre a mulher nos tempos de hoje. Vejamos: “Nos povos primitivos, a eclosão sexual primava pela posse absoluta”. A mulher em algumas décadas atrás não tinha nem alma e, sendo assim, era considerada como objeto sexual do homem. Mas, desses tempos para cá, em pleno século XXI ainda encontramos em grande números, homens que aprisionam mulheres como sua posse exclusiva. Daí, mais das vezes, muitos homens não aceitarem a ruptura de relacionamentos principalmente vinda delas, que para esses, não passa de pura satisfação sexual. E, hipnotizado pela questão do machismo se acha superior aos mandos da mulher ou da esposa, e, daí, lhe cresce a vontade descontrolada de acabar – em vão – com a possível causa do seu transtorno psíquico.

            Reconhecendo a importância desses fatores de convivência familiar entre casais, vejamos mais uma passagem importante a respeito: “Muito poucos casais atravessam a província da posse sem duelos cruéis com os monstros do egoísmo e do ciúme, aos quais se entregam desvairadamente”. Em questão de relacionamento está muito aquém muitos casais que se unem em matrimônio atraídos tão somente pela atração corporal ou por questões financeiras. Raros são aqueles que se ligam pelos laços da convivência espiritual. E pela luta da posse vem as batalhas cruciais do egoísmo que exaspera todo contexto de vivência familiar. E, se há o ciúme entre casais é notório considerar que eles não se encontram prontos para assumirem papeis mais relevantes mesmo que já tenham uma prole para criar.

            Hoje, uma porcentagem muito grande de homens quanto de mulheres são infiéis. Tornou-se impulso “aceito” por uma sociedade que se encontra mergulhada em princípios nada dignos. E como tem infidelidade vivida e convivida por aí! O desrespeito em muitos lares invadiu a intimidade de casais tido como liberais, mas que se encontram, sim, prisioneiros e submissos à vontade de outros espíritos que lhes conspurcam todos os direitos e deveres de raciocinar por conta própria! Triste cenário esse, não é, Leitor Amigo? (Continua…)

Ari Rangel Aécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share via
Send this to a friend