Uberaba, 17/02/1989

Prezado Jhon, sempre estimado amigo

Deus nos abençoe.

Saúde e paz, alegria e bom ânimo a você, Renata e Gabriel, extensivamente à Arlete, a seu pai e a todos os familiares são os meus votos.

Tenho recebido as suas notícias e agradeço a você por toda a sua bondade. Hoje, escrevo a você explicando a minha verdadeira situação de saúde. É assunto só para nós e para os íntimos para evitar alarmes desnecessários. Explico-me: Em julho do ano passado, adquiri uma pneumonia que me colocou quarenta dias de cama. Logo que melhorei me apareceu uma grande infecção renal, que me exigiu um pesado tratamento antibiótico, utilizando-se a injeção Novamin que é muito dolorosa. Melhorando da infecção, minhas articulações acusaram muitas alterações, dificultando-me os movimentos. Comecei a andar dificilmente, estado em que me vejo até hoje. Com o auxílio do Dr. Bezerra de Menezes e de outros Amigos Espirituais, eles me recomendaram solicitar dos médicos amigos uma pesquisa minuciosa e descobriu-se que fui atacado por um “vírus” resistente e contagioso, ainda não classificado.

Alimento-me razoavelmente bem, mas os médicos me proibiram dar a mão aos amigos, especialmente as crianças para evitar o contágio e continuo em tratamento diário, mas procuro agir cuidadosamente. De dois meses para cá, vou às reuniões do nosso Grupo, somente aos sábados, mas não posso cumprimentar aos irmãos de trabalho e de fé, qual sempre fiz.

Devo voltar para casa, logo no encerramento da reunião e evito  o contato com crianças a benefício delas mesmas. O “vírus” referido tem resistido a todos os tratamentos, mas não se ampliou de área e tenho a esperança de que em breve estarei livre. Ele persiste porque me achou com menor resistência, em razão de minha idade avançada, mas continuamos a combatê-lo.

Estou explicando isso a você, não para preocupá-lo, mas para dizer que é aconselhável que você, Renata e Arlete adiem a viagem para cá por mais algum tempo, até que essa “carga virótica” de que sou portador desapareça. Penso no Gabriel que poderia, através de vocês, receber alguma contaminação e não me perdoaria se não escrevesse a você, contando o que ocorre, para evitarmos problemas desagradáveis.

Rever vocês e abraçá-los será para mim uma grande alegria, mas devemos enfrentar os fatos com realidade. Estou melhorando, porque não piorei, mas considero importante que vocês venham quando eu tenha tido alta dos médicos afim de receber os amigos.

Sei que você me compreenderá e me perdoará o contratempo. Assim espero e continuemos confiando em Jesus. Lembranças para Renata, Gabriel, Arlete, seu pai e seus irmãos e receba um grande abraço do seu irmão e servidor de sempre.

Chico Xavier.

(Jhon Harley é natural de Pedro Leopoldo e realizou uma ampla pesquisa sobre a vida do médium e seu amigo intimo Chico Xavier, fundou a FCCX – Fundação Cultural Chico Xavier instituída em 2005 na cidade de Pedro Leopoldo-MG)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share via
Send this to a friend